Os destaques da economia no Boletim Econômico Capixaba de agosto

No mês em que completa dois anos de publicação, em sua 24ª edição, o Boletim Econômico Capixaba de agosto mostra que de acordo com os últimos indicadores referentes ao mês de junho a atividade econômica nacional, medida pelo IBC-BR, evoluiu 1,08% no acumulado em 12 meses. Quando analisado para o segundo trimestre do ano, o dado do IBC-BR indicava retração de -0,13% na atividade econômica em relação ao período anterior. No entanto, a divulgação do dado do PIB brasileiro do 2º trimestre, com alta de 0,4% em relação ao trimestre anterior, superou o esperado pelo mercado e afastou a possibilidade de o país entrar em nova recessão técnica (quando há dois trimestres seguidos de crescimento negativo do PIB).


Para o Espírito Santo, o IBCR-ES acumula alta de 1,47% em 12 meses, mas com queda de -1,39% no segundo trimestre, quando comparado ao trimestre imediatamente anterior.

Na análise do acumulado em 12 meses, os setores de comércio e de serviços nacional têm alta de 3,7% e 0,7%, respectivamente, enquanto a indústria registra queda de -0,8%. Para o estado, nesta mesma base de comparação, só houve alta para o comércio varejista ampliado (9,4%), com desempenho negativo dos serviços (-1,6%) e da produção física da indústria (-4,5%).

O desempenho negativo da indústria capixaba no acumulado em 12 meses se deu tanto na indústria extrativa (-6,9%) quanto na indústria de transformação (-2,1%). Os setores com maiores quedas foram os de fabricação de celulose e papel (-14,1%) e metalurgia (-2,1%).

Mercado de crédito, juros e inflação

No mercado de crédito o resultado interanual até junho mostrou crescimento do saldo de crédito nacional em 5,1%, enquanto para o estado este número foi de 6,8%. No entanto, enquanto no Brasil o crédito para pessoas jurídicas cai -0,8% e para pessoas físicas cresce 10,1%, no caso do Espírito Santo há alta equilibrada para os dois tipos de tomadores: 6,4% para as empresas e 7,1% para as famílias.

O cenário nacional deve continuar a ser de estímulo para o mercado de crédito, com a última queda da taxa básica de juros para 6,00% ao ano, anunciada no fim de julho. No entanto, conforme mostrado no Box especial da seção de Crédito do Boletim, o spread bancário voltou a aumentar neste ano.

O mercado ainda espera por novos cortes na Selic, cenário corroborado pelos resultados da inflação que acumula 3,22% em 12 meses até julho no Brasil, abaixo do centro da meta, que é de 4,25%. Na Grande Vitória o IPCA chegou a 3,52% na mesma base de comparação.

Mercado de Trabalho

O mercado de trabalho nacional teve geração líquida de 43,8 mil vagas formais em julho, com saldo positivo de 521,5 mil empregos no acumulado em 12 meses. Nas mesmas bases de comparação, o Espírito Santo foi responsável por -4,1 mil vagas no mês e 19,0 mil vagas em 12 meses. A taxa de desocupação no estado caiu para 10,9% no 2º trimestre do ano, conforme mostrado na seção destaque do Boletim.

Comércio Exterior

No comércio exterior as exportações do Brasil acumulam queda de -4,8% entre janeiro e julho em relação ao mesmo período de 2018, enquanto as importações caíram -1,0%. No Espírito Santo as exportações também reduziram (-4,2%) na mesma comparação, enquanto as importações cresceram 20,4%, ajudadas pela alta na aquisição de bens de capital (48,8%) e bens intermediários (31,4%). A balança comercial nacional nos sete primeiros meses do ano é superavitária em US$ 28,5 bilhões, enquanto a capixaba acumula US$ 769 milhões.

Finanças Públicas

A arrecadação do Governo Federal totaliza R$ 902,5 bilhões entre janeiro e julho de 2019, aumento real de 1,97% em comparação aos mesmos meses do ano passado. No caso do Governo do Espírito Santo, as receitas totalizaram R$ 11,2 bilhões até julho, alta de 17,6%, enquanto as despesas somaram R$ 7,9 bilhões, elevação de 2,7%.

Cenário Político

O cenário político do mês de agosto foi marcado pela volta do recesso parlamentar e a aprovação da Reforma da Previdência no segundo turno de votação na Câmara dos Deputados, seguindo para análise no Senado Federal. Ainda foi aprovada nas duas casas legislativas a MP 881/2019, apelidada de “Medida Provisória da Liberdade Econômica”. Outro destaque no noticiário do mês foram as polêmicas envolvendo a questão do desmatamento e das queimadas na região amazônica, o que causou algumas tensões políticas internas e externas que, além dos problemas ambientais, ameaçaram também repercutir diretamente na economia com ameaças de boicote a produtos do agronegócio brasileiro e dificuldades nas tratativas do acordo de comércio Mercosul-União Europeia.

O Boletim Econômico Capixaba é uma publicação mensal do Instituto de Desenvolvimento Educacional e Industrial do Espírito Santo (Ideies), entidade do Sistema Federação das Indústrias do Estado do Espírito Santo (Findes) e apresenta as principais análises e indicadores da economia brasileira e capixaba.