Destaque no ES, setor agroalimentar tem desafios para o futuro

O setor agroalimentar abrange as atividades de produção, transformação e distribuição dos produtos agropecuários. De acordo com a distribuição das empresas e empregos desse setor, é possível perceber a sua presença nos 78 municípios capixabas, evidenciando a importância do agroalimentar para o desenvolvimento econômico do Espírito Santo.

O início do desenvolvimento do setor agroalimentar no estado está atrelado à expansão da atividade cafeeira durante os séculos XIX e XX. A diversificação começa a partir de 1960 e 1970 por meio da ampliação das atividades agropecuárias pelo território capixaba, com destaque para a produção da pecuária bovina, avicultura, silvicultura, horticultura e fruticultura. Em decorrência desta diversificação, houve a criação e o fortalecimento de uma estrutura industrial voltada para o beneficiamento dos produtos agropecuários no estado. Posteriormente, a indústria agroalimentar ampliou seu escopo de atuação, tornando-se um importante eixo do processo de industrialização. Em 2016, último dado disponível, a indústria agroalimentar foi a sexta maior atividade industrial no Espírito Santo e respondeu por 15,3% do Valor da Transformação Industrial.


A tendência mundial para o setor agroalimentar é de crescimento em sua demanda, impulsionada principalmente, pelo crescimento populacional e da área urbana, pelo envelhecimento da população e pelo aumento das questões climáticas. Mas, essa tendência esbarra no limite físico da expansão da fronteira agropecuária mundial, uma vez que já são utilizadas mais de 1/3 das áreas livres na terra.

Esses desafios vêm sendo enfrentados por meio dos avanços tecnológicos, como: a implantação da indústria 4.0; o desenvolvimento de produtos com maior tempo de prateleira; lavouras verticais; automatização das lavouras (fazendas inteligentes); uso da impressão 3D na fabricação de alimentos; rastreabilidade dos produtos; selo de qualidade; aplicação de nanotecnologia; avanços na biotecnologia, como a reprodução de proteínas animais em laboratório e o melhoramento genético. Estas e outras inovações aplicadas ao setor estão levando a maiores níveis de eficiência e de produtividade.

Logo, P,D&I assume um papel extremamente importante no enfrentamento desses desafios e no desenvolvimento do setor. Nesta área, o setor no Espírito Santo conta com 310 linhas de pesquisas e significativas contribuições do Incaper, instituto de referência na área de pesquisa agropecuária.


    Posições de destaque do Espírito Santo no setor agroalimentar:

    • 2° maior produtor de café do Brasil: 1º na produção de café conilon e 3º no tipo arábica;
    • 2° maior produtor de pimenta-do-reino;
    • 2° maior produtor de mamão;
    • 3° maior produtor de cacau;
    • 4° maior produto de ovos;
    • 8° maior produtor de banana.


O Sistema Findes, com a coordenação do Ideies, está elaborando a Rota Estratégica para o Futuro do Setor Agroalimentar no Espírito Santo. A rota estratégica tem como objetivo a elaboração de uma agenda de ações de curto, médio e longo prazo (até 2035) que levará o sistema agroalimentar do estado à excelência, com produtos competitivos e de alto valor agregado.