Balança comercial capixaba segue superavitária em 2019, mas com menor saldo dos últimos anos

A Balança Comercial capixaba segue superavitária em 2019, mas acumula o nível mais baixo dos últimos seis anos, com saldo de US$ 1,01 bilhão no acumulado de janeiro a agosto.

Ao se analisar os indicadores que compõem o saldo verifica-se o aumento de 17,5% nas importações em relação ao mesmo período de 2018, enquanto as exportações acumulam queda de -2,8%. Essa combinação tem pressionado pra baixo o saldo da balança, apesar de ainda não ser o suficiente para torná-la deficitária, dada a forte característica exportadora do Espírito Santo. Vale mencionar que o cenário brasileiro tem seguido trajetória semelhante, com níveis de superávit abaixo dos anos anteriores.

Analisando a pauta exportadora capixaba a fim de identificar a causa do menor patamar em 2019, verifica-se, principalmente, a queda nas quantidades exportadas e nos valores de comercialização referentes ao minério de ferro, que perdeu 3,8 p.p. de participação na pauta do estado em relação ao acumulado de janeiro a agosto do ano passado.

Outra commodity que perdeu dinamismo no mercado internacional foi a celulose, com queda de 3,6 p.p. de representatividade na pauta capixaba no mesmo período citado.

Os desempenhos negativos desses dois produtos, muito importantes para a economia capixaba, estão relacionados a diversos fatores, como a redução na demanda global devido às instabilidades entre China e EUA, a redução na produção nacional e as oscilações nas cotações de preço nos mercados internacionais.

Já a importação no Espírito Santo tem avançado, principalmente, nas aquisições de bens intermediários. Alguns destaques são os aparelhos de recepção, conversão e transmissão, com alta de 19,2% em relação ao período de janeiro a agosto de 2018, e torneiras e dispositivos para canalização, com crescimento de praticamente 100% no mesmo período.

    O painel de dados interativos disponibilizado abaixo permite melhor visualização da dinâmica e evolução dos principais produtos exportados e importados, bem como da série histórica mensal da balança comercial, tanto para os estados quanto para o Brasil.

    Para análise mais detalhada sobre o comércio exterior, confira a publicação completa do Boletim Econômico Capixaba de setembro/2019.