A Rota Estratégica Agroalimentar é o destaque do Boletim Econômico de setembro

O Assunto em Destaque do Boletim Econômico Capixaba de Setembro explica a construção e os principais resultados da Rota Estratégica para o Futuro da Indústria do Espírito Santo Agroalimentar 2035, lançada no dia 10 de setembro. Esse trabalho faz parte do Plano de Desenvolvimento da Indústria do Espírito Santo – Indústria 2035

A Rota Estratégica Agroalimentar engloba os setores portadores de futuro Agroalimentar e a Indústria do Café. A escolha inicial dessa rota se explica pelo fato do setor agroalimentar, impulsionado pela cafeicultura, ter sido o primeiro setor a promover o desenvolvimento de uma base econômica no Espírito Santo. Acrescente-se que, mesmo com a diversificação econômica do estado, o agroalimentar é um dos pilares da economia capixaba. 

A Rota Estratégica Agroalimentar traçou, por meio da contribuição coletiva de 65 especialistas, os caminhos detalhado no roadmap que o Agroalimentar e a Indústria do Café deverão percorrer para se desenvolverem em toda a sua potencialidade no Espírito Santo. 

O ponto de chegada do roadmap é a visão de futuro. O setor Agroalimentar estabeleceu como visão a “Excelência em sistema agroalimentares sustentáveis, com produtos competitivos e de alto valor agregado”. E a Indústria do Café quer se tornar “Referência Internacional na produção e transformação de café com origem e identidade do Espírito Santo para mercado diferenciados”.

De acordo com os especialistas, para alcançar as visões de futuro é necessário a superação de 57 principais barreiras no Agroalimentar e de outras 23 na Indústria do Café. Com a identificação das barreiras foram selecionados os fatores críticos de sucesso.

Para o setor Agroalimentar foram listados os fatores: articulação e integração; cultura, gestão e empreendedorismo; educação; PD&I e tecnologia; política de estado; e sustentabilidade. Já os da Indústria do Café são: cultura e gestão empresarial; mercado; PD&I e recursos humanos; e política pública. O fator crítico infraestrutura foi elencado como transversal ao Agroalimentar e à Indústria do Café.

Esses fatores críticos englobam as condições impeditivas atuais e traduzem questões centrais que precisam se trabalhadas por meio de um conjunto de ações especificas. Ao todo, os especialistas elaboram 270 ações para o Agroalimentar, 152 para Indústria do Café e 45 transversais a serem implementadas em curto, médio e longo prazo. Entre esse conjunto há ações voltadas ao acompanhamento das tendências e das tecnologias-chave mapeadas pela Rota Estratégica que impactarão as atividades do agroalimentar nos próximos anos.

As próximas rotas em elaboração são a de Biotecnologia e a de Petróleo & Gás Natural, que seguirão a metodologia descrita acima e têm previsão de lançamento ainda em 2019.

Clique aqui e confira a publicação completa do Boletim Econômico Capixaba de setembro