ES registra criação de 18.458 postos de carteira assinada no 1º semestre de 2019

No primeiro semestre de 2019, o Espírito Santo registrou a criação de 18.458 postos formais. Apesar da redução de 1.152 postos celetistas registrados para o mês de junho, no acumulado do semestre, a criação de postos formais superou em 32% o valor observado no mesmo período do ano passado. 

O saldo para estes primeiros 6 meses é o maior dos últimos 7 anos, superado apenas pelo saldo de 2012, ano em que houve aumento de 20.270 vagas celetistas entre janeiro e junho. 

Para o país, o resultado do mercado de trabalho formal também foi favorável. A criação de 408.500 novos postos celetistas no primeiro semestre de 2019, aproximou o resultado do verificado para o mesmo período de 2018 (+424.473).

Setores de atividades

No Espírito Santo, de janeiro a junho de 2019, as 8.308 vagas criadas pelas atividades de serviços, colocou o setor dentre aqueles que mais ampliaram postos formais no primeiro semestre do ano. A agropecuária foi o segundo setor com mais vagas criadas no estado (+6.246), grande parte concentrada em ocupações ligadas à agricultura, favorecida pelas atividades de colheita do café. 

A indústria de transformação aparece na terceira posição entre os setores que mais criaram vagas (+3.430). Construção civil foi o terceiro setor com maior abertura de novas vagas (+1.987). O setor de comércio foi o único a registrar redução de postos formais nos seis primeiros meses do ano (-2.412).

    Reforma trabalhista

    Contratações

    As contratações nas modalidades de trabalho intermitente e em período parcial, equivaleram a 8% do total de vagas criadas no Espírito Santo (na série sem ajuste com declarações entregues fora do prazo), para o Brasil este número foi de 13%. Apesar disto, a participação destas modalidades no saldo total de vagas no estado foi inferior a verificada no ano anterior (14%).


Reforma trabalhista

Desligamentos

No primeiro semestre do ano, na série sem ajuste com declarações entregues fora do prazo, foram registrados 2.143 desligamentos por acordo entre empregador e empregado no Espírito Santo. Crescimento de 69% quando comparado com o mesmo período de 2018. Para o Brasil, este crescimento foi de 49%.