ES criou 3.248 postos formais de trabalho em novembro de 2018

O Espírito Santo registrou criação líquida de 3.248 postos formais em novembro e alcançou o maior saldo para este mês na série desde o ano de 2011. O saldo acumulado até o mês de novembro no Espírito Santo foi positivo (+21.288), enquanto que o saldo para os últimos doze meses foi de 15.280. Para o Brasil também foi observado um saldo positivo com a criação de mais de 858,4 mil vagas formais no ano de 2018 e de 517,7 mil postos nos últimos doze meses.

Em novembro, todas as unidades federativas do país registraram saldo de empregos positivo no acumulado do ano. O Espírito Santo alcançou a 11ª posição no ranking nacional de geração de empregos. São Paulo segue liderando o ranking ao acumular saldo líquido de 254,7 mil postos de trabalho no ano e criar mais 18,4 mil postos, somente no mês de novembro. O Acre apontou o menor saldo acumulado em 2018, criando apenas 5 postos formais.

Remuneração

O salário médio dos admitidos no mercado de trabalho formal no Espírito Santo, no acumulado do ano até novembro, foi de R$1.361,90 reais. Em termos de setores, a indústria extrativa registrou a maior média salarial (R$1.749,10 reais), o que pode ser explicado pelo fato desta indústria, no estado, ser caracterizada por uma atividade intensiva em capital. Em seguida estão os setores da administração Pública (R$1.621,80), da construção civil (R$1.591,40) e da indústria da transformação (R$1.560,90 reais). Os menores níveis salariais médio foram observados nos setores da agropecuária (R$922,30 reais) e no comércio (R$1.222,80 reais).

    No Espírito Santo, o município que mais criou empregos formais até novembro de 2018 foi Serra (+5.469). Outros destaques positivos foram Vila Velha (+2.351), Vitória (+2.106) e Cariacica (+2.055). Os municípios que acumularam saldo negativo no ano, ou seja, destruíram postos formais de trabalho, foram Guarapari (-580), Cachoeiro de Itapemirim (-256), Marataízes (-56), Alegre (-18) e Afonso Cláudio (-2).

Em termos setoriais, os setores que mais se destacaram na criação de vagas formais em novembro no Espírito Santo foram comércio (+2.213) e serviços (+1.105). Já o saldo líquido de criação de vagas da indústria total (+50) teve contribuição positiva da indústria de transformação (+174), contrabalanceada pelas quedas da extrativa mineral (-45) e construção civil (-79).  Dentre as atividades da indústria de transformação, a têxtil, do vestuário e artef. de tecidos foi que apresentou a maior redução de postos formais em novembro (-155). A metalúrgica teve bom desempenho no mês e criou 218 vagas.