No primeiro semestre as exportações capixabas caem 3,4%

No primeiro semestre de 2019, o Espírito Santo exportou US$ 3,7 bilhões, valor 3,4% menor que em relação ao primeiro semestre de 2018 e -5,9% contra o mesmo período de 2017. 

Esta redução está atrelada à queda das exportações de minério de ferro e seus concentrados e da celulose. A produção do minério de ferro, como já tratado no Boletim do mês anterior, segue em trajetória decrescente. Nesse primeiro semestre, o país que mais deixou de comprar do estado foi o Egito (US$ 155,3 milhões) com queda de -27,4%. Já a celulose passa por um período delicado em todo o mercado internacional, devido ao enfraquecimento da demanda nos dois principais países compradores, China e Estados Unidos. Esse cenário em conjunto com a instabilidade comercial entre estes dois países tem elevado o nível de estoque das nações produtoras, o que pressiona o preço a níveis reduzidos nos mercados internacionais. As maiores reduções na pauta exportadora de celulose do estado foram: Estados Unidos (US$ 180,2 milhões) com -38,4%, China (US$ 72,4 milhões) com -2,8% e Itália (US$ 24,2 milhões) com -35,1%.

O arrefecimento verificado junto as exportações capixabas, devido à baixa produção e comercialização de dois importantes itens da pauta do estado, têm impactado o saldo da balança comercial capixaba (diferença entre as exportações e as importações), que fechou o primeiro semestre do ano abaixo de US$ 1 bilhão, nível não verificado desde 2013.

    Para informações e análises mais detalhadas sobre o cenário externo e outras temáticas conjunturais, confira a publicação completa do Boletim Econômico Capixaba de julho/2019.