ES cria 9.384 postos formais em maio de 2019, com destaque para o setor agropecuário

Em maio de 2019 foram criadas 9.384 vagas celetistas no Espírito Santo, consequência da movimentação entre 38.806 admitidos e 29.422 desligados. Com isso, o mês registrou o maior saldo líquido de postos formais para o estado desde maio de 2012. Este resultado colocou o Espírito Santo em posição de destaque, como o segundo estado que mais criou vagas formais no mês de maio. O bom desempenho capixaba foi puxado pelo aumento das contratações na agricultura, principalmente de trabalhadores para a colheita de café.

Com o resultado de maio, no acumulado do ano, o estado soma a criação de 19.185 novos postos formais, número 24% superior ao saldo do mesmo período do ano anterior. Este crescimento indica um melhor comportamento do mercado de trabalho formal do estado que o verificado para o ano de 2018, até o mês de maio.

Mesmo com a contribuição significativa do Espírito Santo para a criação de postos formais no mercado de trabalho formal do país, em maio de 2019, o desempenho a nível nacional foi inferior ao registrado no mesmo período do ano anterior. Para o Brasil, maio registrou a criação de 32.140 novos postos formais. O valor para o mês foi menor que o verificado para o mesmo mês do ano anterior, para o qual o saldo foi de 33.659.

Somado ao desempenho de maio, o acumulado do ano registrou a criação de 351.063 postos celetistas no país, resultado 14% inferior ao mesmo período de 2018. Apesar da agropecuária ter criado 69% mais postos formais de trabalho que o verificado em 2018, no acumulado do ano, o fraco desempenho dos setores de serviços industriais de utilidade pública (SIUP), da indústria de transformação e de serviços, contribuiu para a menor geração de postos formais no mercado de trabalho brasileiro até maio de 2019. Na comparação com o mesmo período de 2018, de janeiro a maio de 2019, estes setores reduziram a quantidade de novos postos formais criados em, respectivos, 78%, 18% e 15%.

Remuneração

O salário médio dos admitidos no Espírito Santo, em maio de 2019, foi de R$ 1.347,05. O setor de indústria extrativa mineral apresentou o maior salário médio de admitidos no mês (R$ 2.083,42). A indústria de transformação aparece com o segundo maior salário de admissão no estado (R$ 1.686,41).

Apesar do setor de agropecuária ter sido o que mais criou postos formais no mês de maio no Espírito Santo, este seguiu o comportamento dos meses anteriores e apresentou o menor salário médio de admitidos (R$ 959,26), em decorrência da natureza das ocupações criadas.

Distribuição de admitidos em maio por faixa do salário mínimo

Considerando os admitidos no mercado de trabalho formal capixaba, verifica-se que 55% foram admitidos com salário entre 1 a 1 salário mínimo e meio. 

As faixas salariais inferiores a esta concentram 15% dos novos contratados. É importante salientar que, na faixa de até meio salário mínimo, 68% dos admitidos firmaram contratos de até 30 horas semanais. Já na faixa de meio a 1 salário mínimo, apenas 20% foram contratados com carga horária inferior a 40 horas. Lembrando que o valor nominal do salário mínimo estipulado pela Constituição, refere-se aos empregados que cumprem a jornada máxima (44 horas).

Admitidos contratados com remuneração acima de 1 salário mínimo foram 29%, destes 15% foram contratados na faixa de mais de 1 salário e meio até 2 salários mínimos.