Aspectos metodológicos do portal de indicadores de Ambiente de Negócios dos municípios do ES

O portal de Indicadores do Ambiente de Negócios apresentará os dados por meio de eixos estruturados com base na literatura e na observação de outros índices. Sendo assim, foram escolhidos os eixos de infraestrutura, capital humano, potencial de mercado e gestão fiscal. Ademais, esses eixos foram separados em categorias que estão ligadas a temas específicos que servem para uma investigação pontual de um quadro econômico a nível municipal no Espírito Santo. Outra especificidade do portal é a classificação dos municípios a partir de uma metodologia de clusters que leva em consideração a população, o IDH, distribuição de renda e região pertencente.


A metodologia de construção do Portal de Indicadores do Ambiente de Negócios possibilitará ao gestor público consultar as informações em diferentes níveis de agregação além de fornecer uma comparação com municípios similares.

O índice do ambiente de negócios propõe ser uma ferramenta na melhoria das condições econômicas dos municípios capixabas e, para isso, os municípios podem se comparar com cidades parecidas selecionadas pelo método de cluster e traçar estratégias de desenvolvimento nos indicadores de interesse.


O eixo de infraestrutura é dividido nas categorias de condições urbanas, segurança pública e transporte e agrega um total de 13 indicadores. Essas medidas constroem um cenário interessante para entender os elementos estruturais necessários para viabilizar diferentes atividades econômicas. Já o eixo de potencial de mercado se decompõe em acesso ao crédito, diversidade setorial, inovação e tamanho de mercado em um total de 11 indicadores. Esse conjunto de medidas retrata não só uma visão da capacidade empreendedora local como também considera a pujança dos negócios já existente e trajetórias sustentáveis de crescimento da economia local. O capital humano foi analisado por um conjunto de 10 diferentes indicadores separados em três categorias, educação, qualidade da mão de obra e saúde. Esses representam a formação da população ocupada e em formação além de apresentar questões sociais relacionadas. Por fim, o eixo de gestão fiscal foi dividido em 5 indicadores e optou-se por considerar todos os elementos em uma mesma categoria. Esse eixo mede o nível de organização da administração pública municipal e como esse está preparado para introduzir medidas desburocratizantes.

O estado do Espírito Santo, assim como o restante do país, é marcado por uma grande diferença entre suas cidades no que tange à população, à distribuição territorial dos municípios, à desigualdade de renda e ao Índice de desenvolvimento humano. Observa-se, por exemplo, que em 2016, 43% da população do estado se concentrava nas 4 maiores cidades, Serra, Vila Velha, Cariacica e Vitória. Sendo assim, não seria interessante comparar os indicadores de qualquer um desses municípios com algum dos 38 municípios com menos de 20.000 habitantes. Para resolver tal problemática, foi sugerida a aplicação agrupamentos por meio de clusters que considera a população, o IDH, distribuição de renda e região pertencente dos municípios. Tal metodologia gerou uma separação em 6 clusters marcados por similaridades que auxiliam na comparação dos resultados.