Estudo especial aponta os setores com maior crescimento da produtividade na indústria capixaba

O que é produtividade? 

Produtividade é a medida do grau de eficiência de uma empresa, indústria ou país ao utilizar seus ativos já existentes, ou seja, a quantidade produzida e o volume de insumos necessário para essa produção.

De modo geral, o crescimento da produtividade depende dos ganhos de eficiência na utilização dos insumos produtivos (trabalho e capital) e, em particular, do ritmo de adoção e de difusão das inovações tecnológicas. Além disso, o deslocamento de trabalhadores de atividades econômicas menos produtivas para aquelas que são mais produtivas também é um fator muito importante para o crescimento.


Qual é o papel da indústria?

A indústria é considerada o setor com maior capacidade de transbordar os seus ganhos de produtividade porque possui muitas relações intersetoriais, sendo uma grande compradora e fornecedora de insumos dentro da cadeia produtiva. Por isso, o crescimento da produtividade na indústria foi o objeto central do Estudo Especial que analisa a evolução da produtividade do trabalho no Espírito Santo entre 2007 e 2016, baseado no exemplo de diversos estudos para o Brasil.

Principais resultados

De acordo com o estudo, a produtividade da indústria no Espírito Santo apresentou retração entre 2007 e 2016, resultado semelhante ao do Brasil. Porém, a queda de produtividade não foi um fenômeno generalizado entre os setores da indústria de transformação capixaba. Alguns desses setores apresentaram crescimento, os dez que tiveram maior destaque na variação da produtividade entre 2007 e 2016 foram:

 1. Produtos de metal, exceto máquinas e equipamentos,  97,9%;

 2. Produtos diversos,  92,3%;

 3. Confecção de artigos do vestuário e acessórios,  58,6%;

 4. Produtos de borracha e de material plástico,  53,4%;

 5. Impressão e reprodução de gravações,  46,7%;

 6. Extração de minerais não-metálicos,  45,8%;

 7. Outros equipamentos de transporte, exceto veículos automotores,  38,8%;

 8. Coque, de produtos derivados do petróleo e de biocombustíveis,  35,6%;

 9. Móveis,  33,7% e

 10. Produtos de madeira,  32,7%.

    Produtos de metal e vestuário

    Dentre os setores de maior crescimento da produtividade, produtos de metal e vestuário possuem uma maior influência sobre o índice da produtividade geral da indústria do estado porque estão entre aqueles com maior participação no valor da transformação industrial e na população ocupada total do Espírito Santo. 

Queda da produtividade

Os cinco setores com as maiores retrações no nível de produtividade entre 2007 e 2016 foram:

- Bebidas, -61,8%;

- Metalurgia, -51,7%;

- Têxteis, -46,2%;

- Máquinas e equipamentos, -41,1% e 

- Veículos, -32,2%.