ES inicia 2019 com queda na produção de petróleo e gás

De acordo com os dados divulgados pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), o estado do Espírito Santo foi responsável por 12,5% da produção brasileira de petróleo em janeiro de 2019, o que corresponde, em média, a 326,44 mil barris por dia (Mbbl/d). Com este resultado, o estado aparece em segundo lugar do ranking dos maiores estados produtores de petróleo. Em relação à produção de gás natural, o Espírito Santo aparece na quarta posição representando 7,98% da produção nacional, o que equivale a, aproximadamente, 9,01 milhões de metros cúbicos por dia (MMm³/d).

Os dados sinalizam queda de produção do setor de petróleo e gás (P&G) no estado para o primeiro mês do ano. Na comparação contra janeiro do ano passado, houve a redução de -6,03% de barris de óleo equivalente (boe/d), ao passo que, imediatamente ao mês anterior, esta redução foi de -1,39%. A queda mais acentuada é observada para a produção de gás natural em comparação com janeiro do ano passado (-8,79%).

Esta redução de produção do setor de P&G, somado aos demais setores extrativos, interferem diretamente nos dados relativos à produção da indústria extrativa que, por sua vez, atua diretamente na composição da indústria geral do estado.

Em relação a produção nacional de P&G, em janeiro de 2019 foram contabilizados, em média, 3.342,93 milhares de barris de óleo equivalente por dia (Mboe/d). Os dados apontam o crescimento produtivo do setor nacional no que se refere ao mesmo mês do ano passado, com uma variação positiva de 0,62%, ao passo que, em relação a dezembro de 2018, ocorreu uma queda de -1,85%.

Especificamente sobre a produção nacional de petróleo, que se refere a 2.630,93 Mbbl/d, houve o aumento de 0,60% em relação a janeiro de 2019, e a queda de -2,23% em comparação com dezembro de 2018. Semelhantemente, a produção nacional de gás natural, que atingiu 113,20 MMm³/d, aumentou 0,69% em relação a janeiro deste ano e reduziu -0,43% comparativamente ao último mês do ano passado.

Vale ressaltar que, de acordo com a ANP, convertem-se as unidades de medidas de volumes de gás natural e petróleo que estão em metros cúbicos e barris, respectivamente, para barris de óleo equivalente, que consiste em uma medida de agregação de gás e óleo.