ENTRE 2010 E 2018, OS EMPREGOS FORMAIS ENTRE AS MULHERES CRESCERAM 10,1% NO ES

No dia 08 de março foi comemorado o Dia Internacional da Mulher, data que remete às buscas femininas por direitos equivalentes e melhores condições de vida e trabalho.

Nos últimos 10 anos, a inserção das mulheres no mercado de trabalho formal apresentou uma tendência de crescimento no estado. Em 2018, ao comparar com 2010, o número de vínculos de empregos formais entre as mulheres cresceu 10,1%, enquanto entre os homens caiu -0,8%.

A população feminina corresponde a mais da metade dos habitantes do Espírito Santo e, ainda assim, representa 43,3% dos vínculos ativos no mercado de trabalho formal do estado. São 386,4 mil mulheres desempenhando atividades em todas os setores da economia, de acordo com os dados da Rais. Em 2008, essa participação era de 39,5%.

A presença das mulheres no mercado de trabalho tem se ampliado nos últimos anos, entretanto, se depara com uma taxa de desemprego (11,7%) bem superior à da população masculina (8,2%) e acima da média do Espírito Santo (10,2%), segundo os dados da PNAD, referentes ao quarto trimestre de 2018.

Acrescente-se o fato das funções exercidas, dos cargos e das remunerações das mulheres ainda se encontrarem em defasagem considerável quando comparados com os dos homens. Vale ressaltar, que um dos fatores preponderantes para a conservação desse quadro desigual envolve aspectos históricos, culturais e sociais. As mulheres, na maioria das vezes, continuam sendo as principais responsáveis pelas tarefas domésticas, cuidado com os filhos e demais responsabilidades familiares. Ou seja, é necessário edificar um mercado de trabalho com condições igualitárias para homens e mulheres.